20 de jun de 2012

Conta-gotas

Por amor, recuei diante da oferta irrecusável. Sou os tijolos antigos e também as janelas, as duas folhas da porta da sala e as tábuas de madeira acarinhadas pela dança dos pés descalços. O jasmineiro agora sem folhas e a pitangueira que cresce descascante são partes de mim, no quintal. Sou as fendas do tempo e cada um dos desníveis planejados dos quais não posso me desfazer. Tenho no olhar as muitas cores dos azulejos do banheiro mais antigo. Sou a juventude do quarto azul onde compartilho a cama com livros, sonhos e cobertores. Somos histórias entrelaçadas, contadas por um narrador subitamente emudecido. Silêncios compartilhados.
Na madrugada chuvosa, ingrata, ela permite que o céu verta lágrimas sobre o toca-discos que é parte de nós.